Site Loader

Cuidado ao Trocar seus Fundos de Investimento Agora!

Por Guilherme Ruviaro Fração*,
em 12/03/2020

O mercado financeiro é cheio de armadilhas e quem conhece melhor as regras do jogo ganha mais dinheiro. Quero chamar a atenção para uma manobra sutil, mas que beneficia muito os agentes do mercado: a troca de fundos de investimento depois de uma queda significativa no valor de sua cota. Mas por que esta alteração dos fundos favorece os agentes do mercado e pode ser ruim para o investidor? Porque ela muda o ponto de referência inicial para a cobrança da taxa de performance!

Os fundos de investimento ativos são remunerados por uma taxa de administração e uma taxa de performance. A cobrança da taxa de administração é simples, geralmente é um percentual do patrimônio do fundo provisionado diariamente e pago mensalmente. Entretanto, a taxa de performance já não é tão trivial assim. Inicialmente é necessário entender que os fundos possuem um índice de referência (benchmark) para a sua rentabilidade. No caso dos fundos de ação, normalmente este índice é o Ibovespa e no caso dos multimercados é o CDI. Sendo assim, no mínimo a cada 6 meses, caso a cota do fundo tenha superado seu índice de referência e seja maior do que o valor da cota da última cobrança de taxa de performance, então é devido o pagamento da taxa de performance do período em questão. Seguimos para um exemplo:

Supondo que um investidor tenha comprado cotas de um fundo multimercado em janeiro de 2020 por R$ 1,00 real cada uma. Dois meses depois, por conta do coronavírus e da crise na OPEP, o mercado vem abaixo e o valor das suas cotas cai 50%, ou seja, passa a valer R$ 0,50 reais cada uma. Nesta situação, este fundo só poderá cobrar taxa de performance deste cotista quando o valor da sua cota superar o valor pago de R$ 1,00 e for maior que o CDI na próxima data de verificação da performance. Ou seja, neste momento, após a forte queda, o valor da cota pode aumentar em 100% (de R$ 0,50 para R$ 1,00) que ainda assim não será devido taxa de performance. Esta situação claramente é ruim para o gestor do fundo, pois diminui a sua receita. Também é ruim para as corretoras, os agentes autônomos de investimento, para o banco e para o gerente. Todos esses agentes do mercado, que venderam o produto ao cliente são comissionados em um percentual da taxa de performance e da taxa de administração devida ao gestor, então perde uma parte da sua receita também.

Por outro lado, caso este investidor venda as suas cotas deste fundo após a forte queda pelos R$ 0,50 reais e compre cotas de outro fundo pelos mesmos R$ 0,50 reais, então o novo valor de referência inicial para o pagamento da performance futura é de R$ 0,50 reais e não mais o R$ 1,00 real do fundo anterior.  Desta forma, caso a cota deste novo fundo aumente seu valor em 100% para R$ 1,00 e seja maior que o índice de referência no período, será devida taxa de performance. Esta nova situação de troca de fundos é melhor para o gestor e para o agente, porém muito ruim para o cotista, pois apenas recuperou o seu dinheiro e ainda pagou taxa de performance.

É muito comum sugestões de trocas de fundos de investimento em momentos de crise, mas CUIDADO, talvez não seja o melhor para você. Antes de aplicar em fundos com volatilidades maiores o mais importante para o cliente é entender o seu perfil e os riscos de cada investimento. Mais uma vez, o conflito de interesses entre o cliente e os agentes de mercado deixa claro a importância de ter alguém realmente Ao Seu Lado, ajudando a cuidar do seu patrimônio.

Quer ter uma opinião totalmente isenta de conflitos? Saber se o seu gerente ou assessor está indicando algo realmente bom para você? ENTRE EM CONTATO CONOSCO!


(51) 4042-9902
sameside@sameside.com.br
www.sameside.com.br

Compartilhe: